oncontextmenu='return false'>expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Recriando o Titanic: Entusiasta transforma próprio quarto em cabine de luxo do lendário transatlântico do início do século XX

O que você imaginaria se ao entrar no quarto de um amigo, se deparasse com nada menos que uma das cabines de luxo do Titanic ?

Estou numa máquina do tempo? fui tragado pela história ?!

Pois é exatamente isso que o colega Titânico Alexandre Araújo causaria, se você pudesse entrar em seus aposentos... Visto que nosso talentoso amigo Titânico das terras venezuelanas segue a três anos recriando ele próprio com muita arte e polida paciência e estudo, a esmerada reprodução de uma das cabines de luxo do Titanic em seu próprio quarto. E diga-se de passagem, sua obra faz inveja a qualquer museu dedicado ao assunto, e rivaliza até mesmo com os minuciosos cenários criados por James Cameron, onde o diretor hospedou uma apaixonada Rose DeWitt Bukater (Kate Winlet), ou simplesmente Rose, no filme "Titanic" (1997).

A arte de Araújo é daqueles lugares onde o tempo de alguma forma se detém para recontar sobre parte da história do famoso navio engolido pelo mar em 1912, e enaltecido a 105 anos por um legado com poder de inspirar admiradores nos quatro cantos do mundo em variadas modalidades de criação artística. Admiradores que com talento, iniciativa, persistência e criatividade, são capazes de tornar real o que parece impossível reviver.

Para bem além de apenas publicar este depoimento, que foi aceito entusiasticamente pelo Alexandre... Poder compartilhar aqui no Titanic em Foco o trabalho de um um amigo Titânico de tamanho talento é consequência do aspecto mais produtivo em ser entusiasta de qualquer assunto de interesse tão notável: Ultrapassar a barreira do idioma, da nacionalidade e das idades, em um intercâmbio de amizade que é sem dúvida um dos mais preciosos legados que o Titanic possibilita neste pouco mais de um século de história. E isso só é possível quando existe o interesse de levar o entusiasmo de maneira positiva, de modo que isto seja uma prazerosa ponte em direção ao enriquecimento cultural, que de fato nunca é demais.
Então...

Embarque nesta pequena jóia Titânica em forma de cápsula do tempo


Get the flash player here: http://www.adobe.com/flashplayer

Meu nome é Alexandre De Araújo Nunes, moro na Venezuela, sou de pais portugueses e minha idade é 28 anos. 
Encontre o Alexandre no Facebook AQUI / Instagram AQUI

Conte mais sobre você e sobre como iniciou seu interesse pelo Titanic e o que mais te atraía a atenção em sua história, [real e filme].
Sou uma pessoa simples, cheia de sonhos, com uma paixão pela eletrônica, fotografia, arte e antiguidades. Admirador da beleza da arquitetura e obras de dedicação humana, daquelas pessoas que queriam deixar o seu legado artístico e a expressão mais fiel da sua personalidade, sem limites de espaço ou de tempo. Minha arte me descreve e meu interesse vai além da apreciação da arte.

Quando assistiu o filme Titanic pela primeira, e qual foi sua experiência?
Foi uma experiência cativante que marcou meus gostos e hobbies para sempre acho! [hahah]. O projeto do filme do James Cameron para mim foi uma porta que se abriu para descobrir realmente o que foi o Titanic, e foi lá que nasceu o meu amor por esta historia.

E o seu talento especial para as artes, quando começou?
Quando eu tinha 13 anos, e meu primeiro trabalho foi um quadro inspirado em uma paisagem rural venezuelana.

Quando e como surgiu a ideia de colocar em prática esta arte em seu quarto?
A ideia começou quatro anos atrás, quando eu comecei a fazer decorações que tivessem algo semelhante ao Titanic, e foi nesse momento quando eu comecei a fazer ilustrações com alguns detalhes decorativos desta cabine, uma das minhas favoritas nestes dois navios. A inspiração veio depois de ver o filme Titanic do James Cameron e coletar fotos reais do interior do Titanic.

Qual é seu objetivo com a recriação?
Meu objetivo é tirar fotografias Vintage inspiradas no Titanic com diferentes modelos. Ter essa lembrança.

Seu trabalho pode ser considerado como terapia, exercício de arte, passatempo ou exercício histórico?
Eu acho que todas em realidade.

Sua recriação é baseada apenas nas fotos do Titanic, ou as variadas fotos do Olympic também te servem de referência?
Ambas as fotografias são úteis, é bom notar e destacar que eu não estou fazendo algo completamente igual, é apenas uma inspiração baseada no modelo da cabine "B-58", porque eu não tenho no meu quarto dimensões iguais as da cabine real.

Abaixo: Uma pequena coleção de fotos de época da cabine de primeira classe "C-65" no Olympic, o navio irmão do Titanic. A cabine ornamentada em estilo Luís XVI era correspondente em visual decorativo às cabines "B-58" e "C-63" do Titanic. Considerando que se conhece apenas uma foto verídica do mesmo estilo de cabine no Titanic, as fotos de seu "irmão mais velho" servem como perfeita referência para os historiadores e artistas como Alexandre Araújo. Visto que o Olympic operou durante 24 impressionantes anos na mesma rota em que o Titanic naufragou em sua primeira e fatal viagem, as várias reformas pelas quais passou durante a carreira de quase três décadas acabaram por modificar ligeiramente detalhes decorativos e o arranjo do mobiliário nestas cabines e em outras áreas do navio. A foto colorizada ilustra o possível visual do ambiente, contanto as cores podem não ser historicamente corretas.

Get the flash player here: http://www.adobe.com/flashplayer
 
Qual é o nome do estilo desta cabine no Titanic e no Olympic? Você tem alguma história curiosa sobre as cabines em sua época?
Bem, na verdade eu não sou um historiador do Titanic de grande profundidade, até o ponto de conhecer o último parafuso ou painel de madeira do navio, apenas aprendo ao ler sobre esta historia fascinante, mas posso resumir que havia duas cabines gêmeas deste padrão de decoração francesa chamada Louis XVI (Luís XVI), duas no no Titanic, e duas no Olympic. 

A primeira cabine no Titanic, estava localizada no corredor da primeira classe do “Deck B”, atribuída com o número "B-58". A segunda estava localizada no corredor do “Deck C”, esta foi designada com o número "C-63". Neste estilo de decoração a madeira era pintada de branco acompanhada por molduras decorativas “tipo applique”, onde a maioria era pintada de ouro, com a técnica de “folha de ouro”, dando um toque de elegância, luxo e riqueza.

Abaixo - Belfast, Irlanda do Norte, segunda-feira, 01 de abril de 1912: O Titanic acabara de ser concluído após exatos três anos de obras, e este é o dia de testes no mar; mas devido ao fortes ventos (notável pela forte dispersão da fumaça) os testes são transferidos para o dia seguinte. Dentro de nove dias o Titanic partiria em sua primeira viagem a partir da cidade de Southampton, Inglaterra.  Os dois destaques demarcam exatamente as duas janelas da cabine de Primeira Classe "B-58", a mesma utilizada como fonte de referência pelo amigo Alexandre. A cabine seguia "colada" diretamente ao lado do famoso Convés de Passeio Particular do conjunto de cabines de luxo "B-52", "B-54" e "B-56". E está demarcada também na 2ª foto, quando o paredão de aço do Titanic foi fotografado enquanto ancorado no porto de Southampton em 10 de abril de 1912, horas antes da partida, pelas habilidosas mãos do empolgado passageiro Francis Browne enquanto ele próprio cruzava a plataforma de embarque para dentro da primeira classe, parando por instantes para fazer seu registro.
http://oi63.tinypic.com/jhejio.jpg

É importante destacar que a decoração do Titanic e do Olympic foram principalmente inspiradas pela arte francesa, tendo como base de inspiração o Palácio de Versalhes, entre outras decorações européias também claro. No Olympic o estilo da cabine é o mesmo, com a mudança na posição de móveis, tamanho e detalhes mínimos no acabamento dos mesmos; embora no Olympic, de acordo com informações fornecidas, as cabines no ano de 1920 passaram por algumas mudanças notáveis, como o papel de parede dos painéis decorativos, que foram substituídos por outro novo modelo do mesmo estilo. E uma nova pintura de tom suave foi aplicada nos painéis, em contraste com o teto original branco, entre outros detalhes, estes não são visíveis nas fotografias recolhidas. 

Bem para não alongar esta resposta, as cabines foram projetadas com janelas de vitrais que podiam ser abertas como persianas ocultando a janela real do navio do tipo “porthole” [portinhola], dando a ideia aos passageiros que não estavam em um barco, mas num luxuoso quarto de algum palácio da Europa. Esta tecnologia foi implementada em outras cabines também. Quanto à curiosidades, muitas há por aí, mas a de maior destaque é sobre as cores reais que foram dadas à tapeçaria, carpetes, e especialmente a cor real dos vitrais. Mas as cores mais próximas que se pode obter como referência até agora são aquelas utilizadas no projeto em 3D "Titanic: Honor and Glory", embora outros historiadores dizem que nos vitrais havia uma cor âmbar e verde oliva suave, como também uma figura ou desenho com a forma de um sol resplandecente, com as cores âmbar e vermelho...

Abaixo: Nestas reconstruções em computação gráfica, o pessoal que segue a anos trabalhando com muito empenho para o lançamento do futuro jogo "Titanic: Honor and Glory" recria o visual da cabine "B-58" do Titanic com uma acuidade histórica consideravelmente grande. Pela primeira vez em 105 anos um grupo de entusiastas e especialistas se reúne para se dedicar a uma recriação digital do Titanic de alta qualidade. O trabalho de recriação virtual segue com tal qualidade, que já tem servido muito aos fans e artistas ao redor do mundo que se aventuram em criar arte real relacionada ao famoso navio de luxo.

Get the flash player here: http://www.adobe.com/flashplayer


Conte sobre o estilo decorativo de época das cabine originais nas quais você se baseia.
Eram cabines muito harmoniosas e iluminadas, devido à sua brancura, foram decoradas com mobiliário exclusivo e único para o Titanic e para o Olympic. Painéis e camas foram decorados em estilo real da decoração Luís XVI, enquanto as cadeiras e a espreguiçadeira têm um padrão de design de um mistura extraordinária com inspiração no estilo "Thomas Sheraton". As cabines, em suas cores verdadeiras, eram muito femininas e tinham tendência de aparentar uma das salas de estar de Maria Antonieta, esposa do rei Luís XVI, no Palácio de Versalhes. Isso por suas cores turquesa, azul céu, dourado, entre outras. Como se destaca nas decorações Luis XVI, a cabine estava cheia de molduras florais, laços, tulipas caindo em gotas na decoração, folhagens, pérolas em fileiras, entre outras. Deve ter sido uma cabine extraordinária.

Abaixo: A única foto conhecida da cabine de Primeira classe "B-58" no Titanic, aqui fotografada em janeiro de 1912, três meses antes da viagem de inauguração. A foto foi tirada enquanto o navio, ainda baseado na cidade de Belfast, seguia passando por todo tipo de ajuste, recebendo equipamentos e tendo seus detalhes decorativos concluídos em ritmo frenético. Através da porta aberta aos pés da cama se vê parte de um pequeno estande com coletes salva-vidas, que certamente teriam sido utilizados na madrugada do desastre. Em cima da mesa circular com uma pequena luminária do tipo "Gimbal Lamp" nota-se muita poeira acumulada, fruto das obras em pleno andamento. Outra cabine deste mesmo estilo estava localizada um andar abaixo, no convés C, e foi nomeada "C-63", como demonstra as plantas baixas do navio. A foto colorizada ilustra o possível visual do ambiente, contanto as cores podem não ser historicamente corretas. Três meses depois as passageiras canadenses  Hélène Baxter e sua filha Mary Hèlene Douglas (na foto ao lado) ocupariam a luxuosa cabine durante a viagem inaugural do Titanic; e afortunadamente ambas sobreviveram ao desastre, mas perdendo o terceiro membro da família, Quigg Edmond Baxter, que não sobreviveu ao naufrágio. Ele ocupava a cabine "B-60" vista através da porta aberta ao lado da cabeceira da cama, adjacente à cabine de sua mãe e irmã. 

Get the flash player here: http://www.adobe.com/flashplayer

Você fez alguma descoberta fascinante enquanto trabalha?
Bem, até agora para mim tudo é fascinante nisto [hahahah], bom eu acho que as gavetas destes móveis eram bastante pequenas [hahah]

Qual é sua opinião geral sobre o filme “Titanic” (1997) e o trabalho de recriação cenográfica? Você acredita que a arte colocada em prática para criar o filme deixou um legado importante?
Sim, deixou um importante legado, e uma motivação extraordinária que inspirou muitas pessoas como eu, a fazer decorações inspiradas pelo Titanic. Eu acho que este filme foi extraordinário, com excelentes cenários e figurinos. Talvez para muitas pessoas seja ridículo, mas eu ainda sonho em ter um colar do coração do oceano em minha coleção.

E o trabalho de reprodução realizado no cenário da cabine correspondente à que você está recriando, o que você acha da versão criada por James Cameron?
A recriação cenográfica de James Cameron é a melhor até agora, eu acho que eles fizeram um trabalho extraordinário, mas fizeram muitas misturas distorcidas e fatais. Distorceram as teorias reais sobre muitas pessoas, e os erros seguem ainda hoje em museus, onde utilizam mobiliário que não estava em conformidade e nem de acordo com a decoração, entre muitos detalhes. Para mim o melhor trabalho foi na grande escadaria da primeira classe e na sala de estar do projeto fictício B-52, que na vida real era a cabine C-55. Continua a ser a melhor recriação, até o momento não se sabe de algo tão semelhante como no filme, "na vida real é claro". E vai continuar me agradando até ver algo que me surpreenda novamente. E quanto à recriação das cabines, são bonitas mesmo, mas com mudanças dramáticas, tais como cadeiras e mobiliário, embora bonitos, mais não pertencem a essas cabines, alguns na realidade nunca existiram no Titanic e no Olympic.

Abaixo: James Cameron em seu filme recriou o trio de cabines "B-52", "B-54" e "B-56" para hospedar a personagem ficcional Rose (Kate Winslet) junto de sua mãe e o noivo milionário. O trio de cabines foi recriado com a planta baixa correta, mas com dimensões pelo menos 50% maiores que as verdadeiras cabines em 1912, e então "vestidas" com a decoração incompatível se comparadas às cabines verdadeiras. A tática utilizada pela equipe de arte foi de ignorar a decoração historicamente correta e vestir o trio de cabines com estilos que realmente estavam presentes no Titanic, mas distribuídos aleatoriamente em outras partes do navio. Assim então, a cabine "B-54" exibida nas telas recebeu a decoração no estilo Luís XVI, quando em 1912 na realidade fora equipada com decoração no estilo Império. Apesar de maiores, decoradas com estilo errado e contando com mobiliário de época vagamente similar ao do Titanic, o belo conjunto cenográfico se tornou icônico.

Get the flash player here: http://www.adobe.com/flashplayer

Você procura usar sempre materiais profissionais e adquiridos fora, ou trabalha também reproduzindo você mesmo os itens decorativos que incluiu em seu projeto?
Grande parte do material é comprado aqui onde eu moro, mas o material decorativo de estilo é importado, é de boa qualidade. A madeira é MDF, econômica e reciclável.

Abaixo: Dos vitrais aos aquecedores, das portinholas à recriação da cama... nada escapa ao cuidado atento de Alexandre, que reproduz ele próprio os componentes de sua recriação de maneira artística e com a ajuda de alguma tecnologia, em um quebra cabeças de arte e história que já lhe consumiu três anos de dedicação e cuidado. Para os que acreditam que a obra do entusiasta está ancorada em somas volumosas em dinheiro, Alexandre faz questão de ressaltar que seu trabalho só é possível graças a muita dedicação e muita economia de sua parte. Até mesmo o complexo sistema de janelas com vitrais em corrediças de suspensão e arriamento foi fielmente reproduzido por Alexandre; o mesmo tipo de esquema adotado pelos arquitetos no navio original com intuito de disfarçar as portinholas circulares de bronze, que na época eram vistas como pouco nobres, já que estavam presentes de maneira maciça em cabines de baixa classe, onde o luxo decorativonão era priorizado.

Get the flash player here: http://www.adobe.com/flashplayer

Onde costuma procurar por itens de época ou ao estilo de época para incrementar o seu trabalho?
A maioria foram comprados na Inglaterra e nos Estados Unidos, nestes respectivos itens:
http://www.architecturaldepot.com (Molduras)  
http://www.ebay.com (Antiguidades, Apliques Decorativos)
http://www.decoratorssupply.com (Molduras, Apliques Decorativos)

Já utilizou algum material inusitado para sua cabine, algo curioso?
Argila endurecida

Há em sua recriação algum artefato histórico correspondente à época do Titanic?
O modelo de lâmpadas "cardan", a lâmpada do teto e da parede, as maçanetas, parafusos, puxadores de gaveta fios e interruptores.

Qual foi o artigo ou parte mais complexa e demorada para recriar?
Na verdade todas as peças e móveis foram complexos para recriar, porque a maioria dessas peças já não existem mais no mundo moderno, e você deve se inspirar em outras coisas, recriando a partir de zero tentando criar algo similar. Mas eu posso atestar que o design complexo foi a mesa com pia incluída destas cabines, o que exigiu muita paciência, como medidas de adaptação, porque as medidas reais do mobiliário do Olympic e Titanic são diferentes das medidas de mobiliário moderno. Este mobiliário tomou mais de quatro meses de dedicação.
 
Você se preocupa com detalhes que passam praticamente despercebidos para o olho desatento, qual destes pequenos detalhes é o que mais lhe agrada?
Na verdade se o meu trabalho for visto por um historiador, será notável os erros, mas como eu mencionei acima é apenas uma inspiração que se assemelha ao que poderia ter sido esta cabine. Sim, eu me preocupo com esses detalhes despercebidos, mas tento fazer o mais preciso e parecido possível, mas preciso de dinheiro suficiente, e ainda faltam muitos detalhes, na verdade tudo é caro e requer poupança.

Alguma coisa em seu trabalho não te agrada?
O teto não me convence porque fiz eu mesmo o projeto, foi a primeira coisa que eu comecei a fazer na decoração, espero melhorar um pouco disso mais diante.

Já lhe aconteceu algum acidente ou um contratempo que atrapalhou em sua recriação? Algo inesperado?
Sim, e muitas vezes. A primeira foi uma lata de tinta branca que caiu no carpete recém colocado, a segunda foi quando eu estava montando as peças da cama, a cabeceira caiu sobre a parede com um grande impacto bastante prejudicial nas molduras decorativas, entre muitos outros.

Como se sente ao estar em seu quarto, que é quase como uma cápsula do tempo? Alguma experiência sensorial ou próxima ao sobrenatural? Já que estamos falando de uma recriação baseada em algo que por muitos é visto como aproximado ao sobrenatural pela natureza de sua história.
Eu me sinto ótimo, é como uma casa pequena em um quarto, mas a experiência mais extraordinária é quando eu me deito para dormir e as luzes estão apagadas, posso ver a claridade do crepúsculo nas janelas de vitrais, você sente que está realmente no navio. Sobrenatural ainda não, mas é um quarto que dá muito sono acredite! [haha]

Seus amigos e família te apoiam em seu projeto?
Sim, na verdade, meus poucos amigos e família gostam.

Você tem conhecimento de algum outro entusiasta que realizou ou está realizando algo similar?
Não, embora eu me identifiquei com, Rodrigo Piller. Eu acho que Rodrigo é o único que esta recriando peças decorativas destes navios de resto eu não conheço mais ninguém. 

Abaixo: Através de uma garimpagem cuidadosa de sites onde se possa encontrar artefatos decorativos que coincidam com os utilizados no verdadeiro Titanic há 105 anos atrás, Alexandre foi capaz de incluir em sua recriação até mesmo as arandelas [luminárias de parede] com design que remete de maneira praticamente exata às equipadas nas cabines de passageiros do Titanic em 1912. A utilização de luminárias do tipo "Gimbal Lamp" foi uma curiosa escolha dos decoradores do Titanic, elas eram portáteis, e  funcionavam como um pêndulo, onde o corpo principal movia-se pela simples ação da gravidade, se transformando instantaneamente em um abajur quando colocadas sobre uma mesa [como visto na foto ao lado, de um dos abajures de mesmo tipo recuperado dos escombros do Titanic a 3.800 m de profundidade]. Nosso amigo relata que a recriação do mobiliário que combina penteadeira e lavabo foi um dos maiores desafios de seu trabalho, pela complexidade do objeto e para a definição de quais dimensões que ele poderia utilizar para sua recriação adaptada. Alexandre incluiu até mesmo a réplica de um pote de porcelana para creme dental com a efígie da Rainha Vitória sobre a tampa, idêntico aos encontrados nos escombros do Titanic.

Get the flash player here: http://www.adobe.com/flashplayer

Algum grupo ou sociedade histórica oficial já te fez um convite para oferecer um depoimento sobre seu trabalho?
Não, na verdade eu não estou tão exposto aos grandes fãs do Titanic, apenas conheço em redes sociais ainda.

Você acredita que de maneira geral as pessoas que se consideram entusiastas e fans do Titanic respeitam sua história e conseguem levar isso de modo produtivo?
Há muitas pessoas que não respeitam esta história, como também há muitos fans que pretensiosamente dizem serem fans, mas realmente não trazem nada de bom, apenas críticas, que em alguns casos são ofensivas.

Como é passar as datas relacionadas ao Titanic, em abril, em sua cabine? Você lê, assiste algo ou marca estas datas de modo especial?
Sim, eu leio muito no quarto quando chego do trabalho e limpo tudo completamente, eu me sinto um pouco nostálgico.

O que ainda falta para concluir o seu trabalho? O que ainda pretende incorporar pra enriquecer sua recriação?
Como se vê nas fotografias, faltam as cadeiras reais, toques de latão dourado na cama, algumas molduras no teto e sofá de descanso, entre outros detalhes.

Há algum lugar relacionado ao Titanic que sonha visitar?
Sim, eu gostaria de conhecer alguns lugares na Europa, especialmente na Irlanda, onde foi construído o barco, e observar aqueles lugares que foram preenchidos com tantas pessoas empreendedoras nesta grande obra artística, visitar o famoso "Hotel White Swan" e poder ver aqueles deslumbrantes restos dos painéis do Olympic, com desenhos decorativos que também foram utilizados no Titanic.

Qual é o aprendizado maior e mais importante que você acredita ter nesse interesse pelo Titanic e em seu trabalho de pesquisa?
No mundo da arte muito! Mais do que qualquer pessoa poda imaginar. Graças a esta história, eu aprendi a valorizar a dedicação humana que um artista coloca em sua obra, o trabalho, aprendi a identificar estilos, e aprendi a fazer tudo o que agora você pode ver nas fotos. E sou uma pessoa que nunca imaginou nem sequer fazer uma caixa com pregos.

Você tem algum conselho para as pessoas que tem interesse focado na história, no sentido de que possam utilizar este interesse de modo positivo?
Lutar por aquilo que você quer fazer, e lembre-se sempre que a sua própria satisfação é o mais importante, independentemente das críticas das pessoas.

Concluindo...
Quero agradecer a um fã brasileiro chamado Diego Fortunato, ele faz recriações de Titanic 3D, por sua ajuda e partilhar o meu humilde trabalho simples de recriação. A Matt DeWinkeleer, pela sua participação em algumas medidas e modelos, e a Rodrigo Piller, por me dar a oportunidade de estar aqui com vocês, mostrando o meu trabalho para aqueles que têm amor por esta arte e história.

 
Crédito
Depoimento e fotografias por Alexandre Araújo, adaptação de texto por Rodrigo Piller

Agradecimento
Ao amigo Alexandre Araújo por ter gentilmente aceito o convite para este depoimento e por ceder seus vídeos e imagens para esta matéria.